Publicidade - Advertising

Segunda-feira, 07.06.10

Portal Ambiente


Maior expedição portuguesa de sempre chega às Selvagens em Junho

2010-06-07
São mais de 70 os cientistas que se preparam para embarcar na maior expedição alguma vez realizada em Portugal. A missão, que começa no dia 8 e termina em 30 de Junho, tem como alvo as Ilhas Selvagens, ao largo da Madeira e está a cargo da Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC) e do programaM@RBIS (Sistema de Informação para a Biodiversidade Marinha).

O grupo About Media vai acompanhar esta aventura com apontamentos de reportagem diária para os portais PlanetAzul e AmbienteOnline, sendo que o jornalÁgua&Ambiente terá um espaço dedicado à grande reportagem da expedição, na sua edição de Agosto.

Segundo Manuel Pinto de Abreu, chefe de Missão da EMEPC, o primeiro objectivo da expedição é a extensão da plataforma continental, numa altura em que Portugal aguarda a resposta da Organização das Nações Unidas às pretensões portuguesas de aumentar a plataforma continental para mais de dois milhões de km2, decisão que se esperaque seja tomada em 2013 ou 2014.

Neste âmbito, o responsável sulinha que há dois aspectos a ter em conta: é fundamental a parte da redefinição da linha de costa e a recolha de amostras geológicas para estudar a unidade global do território imerso. «Temos também a parte do M@RBIS, na qual vamos fazer um teste ao sistema de informação em si mesmo e, ao mesmo tempo, criar metodologia de recolha de informação», acrescenta.

Selvagens têm mais de 500 anos
Descobertas em 1483 por Diogo Gomes, as Selvagens mantiveram-se na posse de famílias portuguesas desde o século XVI até serem adquiridas pelo Estado no século XX, sendo classificadas como Reserva Natural da Ilhas Selvagens.

Os tempos de crise não impediram a realização da expedição, mas, ainda assim, está a ser preparada com os recursos mínimos necessários para viabilizar uma missão deste género. Com efeito, a maior parte do equipamento já pertencia à Estrutura de Missão e os cientistas e entidades que irão participar foram convidados a trazer o seu equipamento. No fundo, foi apenas necessário comprar apenas as ligações aos equipamentos e os patrocínios equilibraram os custos operacionais de toda a expedição.
Para além dos cientistas, uma equipa da universidade do Porto estará a bordo a preparar documentários que irão servir, por um lado, para produzir documentários de divulgação e, por outro, para ajudar a constituir uma plataforma para estudo, que permite a edição e anotação de imagens.

Professores e alunos também aceitaram o convite e não são mais porque nem a logística nem a época de exames o permite. «Todos os núcleos de investigação querem ir ao mar, não há tantas oportunidades como isso, já que é um conjunto de trabalhos muito grande e é um período de tempo relativamente longo. Isto mostra a aceitação que a EMEPC tem ao nível da comunidade científica, talvez fruto da nossa postura: o que podemos partilhar, ajudar e dar, fazemo-lo», defende o chefe de missão.
Autor / Fonte
Diana Catarino
publicado por Pedro Quartin Graça às 10:28 | link do post | comentar
Sábado, 05.06.10

...

Navios da Marinha amanhã no Funchal

Duas unidades da Marinha Portuguesa chegam amanhã ao porto do Funchal, no âmbito da campanha EMEPC(Estrutura de Missão para aExtensão da Plataforma Continental) criada pela Resolução do Concelho de Ministros e que tem como principal missão formular uma proposta de extensão da plataforma continental até 200 milhas náuticas com posterior apresentação à CLPC(Comissão de Limites daPlataforma Continental).
De entre os vários objectivos da EMEPC, conhecer as características geológicas e hidrográficas de Portugal Continental e Regiões Autónomas é um dos objectivos chave e para esta nova campanha, a M@rBis/Selvagens 2010, conta novamente com a colaboração da Marinha Portuguesa que enviou o navio hidro e oceanográfico NRP Almirante Gago Coutinho, à
semelhança de outras campanhas nomeadamente para levantamentos hidrográficos, e o navio de instrução, o lugre de quatro mastros, o Creoula, que voltou à navegação e activo após um longo período de restauração.
A referida campanha, como o próprio nome indica, é direccionada às ilhas Selvagens e irá se desenvolver em terra, mar e linha de costa nas ilhas da Selvagem Grande e Selvagem Pequena, onde serão realizadas várias operações no âmbito de levantamentos e inventariações nas vertentes acima mencionadas.
No geral, esta campanha terá a duração de um mês, oficialmente iniciou-se hoje e finalizar-se-á no próximo dia 5 de Julho.
Para mais informações sobre a EMEPC, funções e suas metas clique no
link e aceda ao website oficial.
Fotos: © Francisco André e João Abreu.
Imagens: EMEPC e Ilhas Selvagens.
http://naviosfunchal.blogspot.com/2010/06/navios-da-marinha-amanha-no-funchal_05.html
publicado por Pedro Quartin Graça às 21:51 | link do post | comentar
Terça-feira, 01.06.10

...



PRÓXIMAS CAMPANHAS

Meios Operacionais
EMEPC / M@rBis / Selvagens 2010. 


Durante o próximo mês de Junho decorrerá nas Ilhas Selvagens a campanha EMEPC/M@rBis/Selvagens 2010. 

A campanha está organizada em três vertentes: terra, mar e linha de costa, para as Ilhas Selvagem Grande e Selvagem Pequena. 

Nas vertentes terra e mar, será realizada uma inventariação exaustiva da fauna, flora e habitats marinhos desde os 70m de altitude até aos 2000m de profundidade.

Haverá equipas operacionais em terra para o levantamento de espécies e habitats, e para a delimitação da linha de costa.

Na componente mar, estarão equipas de mergulhadores, o ROV LUSO e o ROV KOS a realizar o respectivo levantamento.

A campanha envolve a participação de cerca de 70 investigadores e estudantes de Universidades, Laboratórios Associados e Instituições nacionais e internacionais, para a colheita e catalogação das amostras, na identificação dos organismos e no processamento da informação, sendo os dados coligidos carregados em tempo real no sistema M@rBis.





publicado por Pedro Quartin Graça às 10:49 | link do post | comentar

Maior missão científica zarpa para o Atlântico



Três barcos levam 73 especialistas para estudar Selvagens e "ovo estelado"

Parte hoje, terça-feira, de Lisboa, a caravela "Vera Cruz", primeiro dos três barcos que servem de base à maior expedição científica portuguesa de sempre. O mar das Selvagens será observado a fundo e a rota de dois meses e meio inclui a pesquisa de segredos oceânicos dos Açores.
O "Vera cruz" toma avanço aos navios "Creoula" e "Gago Coutinho", que zarpam do Tejo ao pôr-do-sol na próxima quinta-feira, rumo ao Funchal. Dali, as três embarcações seguem para as Ilhas Selvagens, para a primeira fase daquela que é a maior expedição científica portuguesa até agora: 73 especialistas em diversas áreas. Quatro deles são espanhóis e dois vieram da Universidade de Berkeley, EUA. Estes últimos fizeram trabalhos idênticos no Oceano Pacífico e vêm cooperar ao abrigo de um protocolo com a Fundação para a Ciência e Tecnologia.
A coordenação deste cruzeiro oceanográfico, que se prolonga até meados de Agosto, está a cargo da Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC) que, no passado mês, entregou às Nações Unidas a fundamentação científica para o reconhecimento da soberania portuguesa sobre mais dois milhões de quilómetros quadrados de fundo marinho.
Vida selvagem
A operação científica tem a primeira fase nas Ilhas Selvagens e seus ilhéus (a 160 milhas do Funchal). Os trabalhos integram-se num projecto, o M@rBIS, comum com o Instituto da Conservação da Natureza e Biodiversidade. As equipas vão ali estudar o ambiente e espécies na zona emersa (visível), na faixa das marés, até aos 30 metros de água e, num alargamento progressivo, dos fundos e vida marinhos até aos dois mil metros. É aqui que intervém o "Luso", veículo submarino robotizado (ROV), capaz de recolher amostras e imagens até uma profundidade de seis mil metros. Tal capacidade de mergulho será aproveitada ao máximo quando a expedição rumar para os Açores.
A fase de exploração das Selvagens prolonga-se até ao próximo dia 28. Manuel Pinto de Abreu, que coordena a EMEPC, disse, ao JN, que, daquela zona, se sabe haver bastante biodiversidade e também "verdadeiros desertos". Os trabalhos vão também complementar dados recolhidos para a fundamentação da extensão da plataforma continental. O modelo geológico da zona ficará completo.
"Temos um conjunto de imagens de satélite e precisamos de verificar as coordenadas no local, para que tudo encaixe precisamente no sítio certo", explica Pinto de Abreu, para acrescentar que serão usados veículos autónomos submarinos (um dos quais da Faculdade de Engenharia do Porto) para recolher dados físicos da coluna de água, dados acústicos e imagens. Serão largados sistemas derivantes (drifters) para estudar as correntes. Algumas análises serão feitas de imediato, outras aguardarão laboratórios sofisticados.
Finda a missão nas Selvagens, ficará apenas o navio da Marinha "Gago Coutinho", que tomará, no início de Julho, o rumo do extremo Oeste da plataforma continental, muito além dos Açores. Aí a profundidade típica é de 3500 metros. O "Luso" irá espreitar também o que há quase um ano descobriu: o "ovo estrelado", misteriosa formação a 150 quilómetros de Ponta Delgada. Os cientistas da EMEPC estão ávidos por dados que permitam entender se essa cratera submarina com seis quilómetros de longo resultou do impacto de um meteorito ou é vulcão escondido pelas águas.

Jornal de Notícias - EDUARDA FERREIRA


publicado por Pedro Quartin Graça às 07:20 | link do post | comentar
Bem-vindo ao Blog “Ilhas Selvagens”! Este é um espaço dedicado à divulgação das Ilhas Selvagens, subarquipélago da Madeira, o extremo mais a sul do território nacional. Uma janela aberta ao mundo e um retrato da zona mais desconhecida de Portugal. Entre e explore as ilhas!

Pedro Quartin Graça

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Redes Sociais - Social Networks

Instagram

últ. comentários

arquivos

Ilhas Selvagens TV

tags

todas as tags

subscrever feeds

posts recentes

blogs SAPO

Translation

Publicidade - Advertising

pt.harddriveparts.com
Licença Creative Commons

Escreva-nos

10710775_lB2Wc E-mail: pedroquartingraca@gmail.com Tlm: (+351) 96 964 0021