Expedição à ilha da Selvagem Grande


Decorreu entre 8 e 26 de Outubro de 2009 uma expedição à Selvagem Grande (Arquipélago das Selvagens), organizada pelo Museu Municipal do Funchal (História Natural) em conjunto com o Dr. Francis Zino, com o objectivo principal de monitorizar a avifauna marinha que nidifica nesta ilha, mais concretamente a Cagarra (Calonectris diomedea borealis) e o Roque de Castro (Oceanodroma castro), dando continuidade ao trabalho que tem vindo a ser desenvolvido, desde já alguns anos pelo Dr. Francis Zino.

Fizeram parte desta expedição, para além do Dr. Francis Zino e da sua esposa Elisabeth Zino, o Director do Museu Municipal do Funchal (História Natural), Dr. Ricardo Araújo.

O transporte das pessoas e do equipamento para a Selvagem Grande foi assegurado pela Marinha de Guerra Portuguesa, através do seu navio patrulha NRP Quanza, cuja colaboração é indispensável para poder aceder ao Arquipélago das Selvagens.

A preciosa colaboração do Parque Natural da Madeira e dos seus funcionários, Vigilante da Natureza Sandro Correia e Dra. Carolina Santos, foi extremamente importante para o êxito desta expedição.

Os objectivos principais desta deslocação à Selvagem Grande, foram a anilhagem de juvenis de Cagarra antes do seu primeiro voo, ou seja, antes de abandonarem o ninho e de adultos de roque de castro, capturados através da montagem de redes apropriadas. Para além da anilhagem foram recolhidos dados biométricos e amostras de sangue para posterior análise de DNA de ambas as espécies.

A informação obtida nesta expedição faz parte de todo um trabalho de monitorização das populações nidificantes de cagarra e de roque de castro, existentes na Selvagem Grande, que tem vindo a ser desenvolvido todos os anos pelo Dr. Francis Zino.

Para além do objectivo principal desta expedição e aproveitando a presença de um investigador do Museu Municipal do Funchal (H.N.), foram realizadas, não só várias colheitas de fauna e flora terrestre, para posterior identificação em laboratório e respectiva incorporação nas colecções biológicas desta instituição, como também foram realizados mergulhos com escafandro autónomo com vista à captação de imagens de espécies marinhas, enriquecendo desta forma a banco de imagens subaquáticas do Museu.

publicado por Pedro Quartin Graça às 19:56 | link do post | comentar