AUGUSTO SANTOS SILVA

Madeira: marco da Força Aérea Portuguesa nas Selvagens é afirmação da soberania portuguesa

por Agência Lusa, Publicado em 04 de Julho de 2010   

O ministro da DefesaAugusto Santos Silva, disse hoje que o marco da Força Aérea Portuguesa erguido nas ilhas Selvagens expressava “uma maneira de marcar a soberania portuguesa” no território mais a sul de Portugal.
“É uma maneira de marcar a soberania portuguesa mas é sobretudo uma maneira de marcar a capacidade que nós temos de assumir as responsabilidades que decorrem da soberania”, disse o governante português, sublinhando que não existe “qualquer questão” relacionada com a soberania em torno das Selvagens ou de outra parte qualquer do território nacional.
Santos Silva inaugurou hoje o monumento alusivo aos 58 anos da Força Aérea Portuguesa na parte mais a sul do território português.
“O que nós estamos hoje aqui a marcar com este evento é o facto dessa capacidade, agora acrescida designadamente com o novo helicóptero Merlin, cujo nível de autonomia, capacidade de transporte, prontidão fazem com que seja hoje à Força Aérea Portuguesa muito mais fácil e muito mais efetiva a sua responsabilidade na assunção da soberania”, declarou.
Para Santos Silva, “assumir as responsabilidades de soberania significa também disponibilizar ao país mais recursos em matérias tão essenciais como a biodiversidade, a exploração racional e sustentável dos seus recursos sendo as ilhas Selvagens parque natural, constituem um desses recursos e também aí a Força Aérea Portuguesa tem um contributo a dar”.
“Usando os mesmos recursos, protegemos e salvamos a vida humana, valorizamos os nossos recursos, valorizamos o nosso território e contribuímos para outras finalidades do desenvolvimento português como por exemplo a sustentabilidade ambiental, é este casamento entre soberania e defesa de um lado, desenvolvimento sustentável por outro que nós estamos, a marcar, aqui, hoje”, concluiu.
No âmbito destas comemorações, em que participaram o Chefe do Estado-Maior da Foca Aérea Portuguesa, general Luís Araújo, o secretário regional dos Recursos Humanos, Brazão de Castro, o presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Albuquerque e o diretor do Parque Natural da Madeira, Paulo Oliveira, entre outras entidades, foi também anilhada uma cagarra – ave típica deste local – com o nome de Força Aérea.
Devido à sua proximidade às ilhas Canárias, têm sido cobiçadas por Espanha cujo governo, em 1911, chegou mesmo a declarar a sua incorporação no arquipélago espanhol mas, em 1938, a Comissão Permanente de Direito Marítimo Internacional veio confirmar a soberania portuguesa daquelas ilhas.
Num gesto de reafirmação da soberania portuguesa das ilhas, as Selvagens foram já visitadas pelos presidentes da República Mário Soares e Jorge Sampaio e, recentemente, foram palco de uma missão científica no âmbito da Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC) de Portugal para além das 200 milhas náuticas.
publicado por Pedro Quartin Graça às 12:50 | link do post | comentar